quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018


Dear Daniel,

I don’t even know if this is your real name or just one you had picked up, but I want to say… I saw what happened. Once more, when I was just checking if you were okay, I discovered that your account at Deviant Art was deactivated, and not only that, you had deleted others accounts as well, like twitter, pinterest and others. This worried me. Since you had scared me deleting all your art, all your hard work from Deviant Art some years ago, I was worried that something bad had happened to you. When you could come back with new art, I was so glad for you, you was trying once more to make art. I really hoped that you could keep it and you had make a lot of progress! Unfortunately, it’s seems it wasn’t enough for you, right? Oh god…

And you know what? I understand. Life isn’t easy, we always want more, to do bigger things and society demand us to make a lot of money out of it… or we will be out of it. Eventually, it’s sad for me to see something like this happening to you again; in fact, it breaks my heart seeing the world doing it again with one more person… There’s nothing that I fear the most than life itself. People had imagined life as something great, as something beautiful, as something simple and something wonderful. Life isn’t that, at least, not only that. Life can be cruel, can be about misery, can be about psychological and physical torture, can be about ignorance and many others bad things and you can die before seeing how great life can be. How life can be great if you were born to die with nothing great in your life? Where are these great things when someone is trying to kill you without even meeting you, because of your religion, your culture, your “skin color”, your sexuality…? It’s not fair to be alive. Knowing this, I get worried about you. You may need some help to achieve what you want for your life; you may need some support to keep yourself strong against bad thoughts, you may need something to keep going whatever it is and then, life didn’t care about it. You would feel lonely and given up on your dreams, on your hard work, on how far you went… Guess everyone will pass through something like this; you can’t have everything and you will need to give up on something if you want something. It’s not fair, because all you want is to be happy, to be successful and… somehow, it doesn’t happen. Time pass and what you wanted fade slowly until it disappear. Most people in the world don’t follow their dreams; they just live, doing what they need to live. Guess that people call it “being an adult”.

I don’t know what happened to you this time and I really hope you are safe and sound, just had given up on some ‘stupid draws’ you may say, but, that’s not how I see it. When I first met your drawings, it was easy to spot that they wasn’t that refined, but they had something special. They were sweet, kind, simple. They had passed to me this feeling of paradise, simple, but great, unforgettable! I wanted to see more of it! And I had saved it on my favorites to look at it later. I had forgot for some time and then, when I finally go back to see it, they were all gone… I couldn’t believe something like that had happened. As an artist, I was so shocked! You really had given up on all of it. That was part of you, it was your hard work, the first steps you had taken so far and then… all gone. People may not be proud of what they had done before, no matter how much that was important, people will look at it as something so ugly that they would erase from earth to forget they were so bad before. However, what is the problem with something a little ugly, with something not finished yet? You didn’t know how to do it before! You needed to make mistakes to learn something new and… yet… People may not be satisfied with it.

I already saw a few artist complaining about how their art isn’t magic, that they don’t have any time to spend doing art for someone for free, on how they need to dedicate all their time doing commissions to have money… Do you see? When people will ever understand that making art isn’t easy? I know… No matter how much I love comics, drawing and illustrations and pretending to make some draws to make a comic out of little novel I had write, I know I’m not into drawing like you did. I just pass a lot of time doing anything but drawing… but when it comes to write, I just can’t stop! And lately, not even that… I should finish my book once and for all, but I hadn’t feeling into it. Sometimes you just want life to work by itself, unfortunately, that isn’t something that time will heal or help you out at all. I don’t know what to do or what will happen. Time is passing so fast and I had been feeling that I don’t have any strong left… The last thing I have is my novel made by someone who didn’t went to college, who didn’t have read as many books people say you should (I prefer comics, by the way). If something happen, I don’t know what will happen with me… I already had given up on life a long time ago and I don’t feel that I will ever fit on the mold. I don’t want it. I just want to be in peace with myself and fitting on the mold will just make me feel with no peace left. So, what exactly I am supposed to do? Well, I am just waiting to see if something change, if life can be only about this and that nothing else will happen. I’m afraid I will ending up disappointed, but I will know for sure that life isn’t something as great as people say… it should have something more… And you can say that I care about you because of this, because I want something special to happen in your life, that one thing you need so much to keep drawing…

Why would I just write this instead of trying to find you? I am not good at this thing called friendship, in fact, not good at all. You can know some people here and there, but I can’t call then friends, I really dislike using the word friend. How can I be friend with someone living so far away from me? If I was a good friend, I should go to where you live and pull your ear right now and asking you at the top of my voice: What the hell is happening with you?! *sigh* Probably there’s no one else to ask you so nicely about it and sit close to you and hear what actually happened. You seem a kind person… Even though people aren’t as nice people think they can be, your art had spoken to me for you. You had tried to make comics about friends, about love, about happiness and, some way, you had fail at it. You had fail so hard that you had given up on your art; and, I hope, is trying something else. No problem, I guess. You do what you want to do with your life. But now it seems something serious. If you deleted your others accounts, how I will know that you are fine? I am worried about you. Even if I am just being too dramatic and all, if I just could hear that you are fine and your drawings are safe, that would be awesome…

Sometimes… Sometimes I just don’t want to believe that life can play with us like it’s funny to loose what we care the most and then we will be forced to leave it behind like it was nothing… It hurts me so bad… We only have here and now to do things, but things aren’t working well and we need time to make it work and… time is over, it’s already time to die and leave all behind… or, you grow up and you will not have any time left to keep your childhood dreams, it’s time to give it to someone else… People love to keep saying things like “keep believing” when they achieve their dreams, but, what happens to everyone else that couldn’t make it? Just living a normal life, I guess… A life without dreams, without magic, without imagination… Sometimes I just wish that god could give the basics to people live: food, water, good clothes, some place to lay down and sleep in peace, have access to knowledge and feel loved. Unfortunately, it seems the last one is the hardest one to achieve. You can live a whole life without a single drop of love. There’s nothing more terrifying for me than life without love, without respect, without feeling that our dreams are possible. That’s all I can say, on and on, because until now, I couldn’t stop thinking that somehow god is too far alway to actually help us with what we need the most: love. Your art was so beautiful, lovely! Yet, it seems I’m a fool who love things nobody else likes… Maybe I’m just no one, someone who will be forgotten; and someday the hope to create a fair world where people can find happiness, comfort and help not so far away from where they live will die with me. Is it too much to ask for a better world?

As I said before, I understand if this is what you want… It’s so hard to live and what you did was probably the best you could do… I really wanted to help you somehow… and I’m just miserable, I can’t talk to you directly. Life is so unfair that this letter never will find you… Maybe it’s better this way. On the other hand, the hat boy, as I like to call it, the first draw a put here, will always be my desktop, on computer and smartphone. Every day I will look at it and remember you, to still have hope, hope that someday things will be better. It’s impossible to live without hope when you are just as neurotic as I am. I’m still afraid that I never will see life being fair the way I want, but I still will wait to see you drawing again. If there is a god above us, he should know what is happening with you and help you somehow, since I can do nothing. I would like to know how he would help, it’s so hard to say if god is helping or not… Things still need to happen, no matter how much we want them or not… You not drawing anymore is still possible, with or without god’s help.

I don’t like to believe in miracles… Not because they are impossible, they can be possible. My problem is with that part where they are so rare that you can live without noticing them. I really would like to see this one happening… I want to see you making art and smiling, the same way I did when I looked at it. Guess not in this life, but yet, it doesn’t cost to dream a little.

Sleep well Daniel,
maybe I can find you drawing in there. :o]

From the person who admire your work,
Victório Anthony.

quarta-feira, 31 de maio de 2017


Como em todos os momentos em que tudo o que eu tinha eram angustia e incertezas, mais uma vez torno a escrever para tirar certos sentimentos de mim e deixá-los ir. Não quero que comente, não quero que você leia, mas se mesmo assim o fizer, não espere minha gratidão, não acho que eu saiba realmente o que significa isso... não mais...

A vida vai e vem, vem e vai... O que eu deveria fazer? Tudo o que eu quero é que esse sentimento de montanha-russa termine de uma vez, que a vida pare de ser tão incerta, que as coisas parem de quebrar justo quando não tenho dinheiro, justo quando estou nas mãos do que as outras pessoas querem... Se eles vão deixar a minha vida de lado porque ela não tem importância alguma pra eles, é isso que será feito de mim: nada. Neste nada que me tornei, fui deixando as coisas irem, afinal, se apegar é errado, não é? Pensar alto demais é errado, Sonhar alto demais é ERRADO. Você não tem forças pra seguir de tão errado que a sua vida se tornou e o buraco no meio do meu peito só deixa evidente o quanto me tornei vazio. Acreditar? Acreditar no quê? Em mim é que definitivamente não é... Se eu tivesse mais um pouquinho de força, se eu fosse um pouquinho mais esperto, eu não estaria aqui para escrever isso, se é que você realmente entende o que eu quero dizer... Não, não estou falando de que as coisas seriam melhores, pelo contrária, teria tido forças pra fazer o que não deveria.

Tudo na minha vida agora acabou se resumindo àquilo que o dinheiro pode comprar. Não, não estou falando sobre coisas caras, sobre coisas que não preciso de fato, sobre coisas que não uso. Estou falando do básico mesmo, coisas que as pessoas deveriam comprar... É engraçado como quando eu era criança, odiava ganhar ou comprar roupas, nunca tive prazer nisso. E então hoje me vejo com vontade de comprar meias e cuecas porque as que eu tenho não estão mais tão boas quando foram compradas há alguns anos. Me é excruciante ver que a minha ferramenta de trabalho, o computador, é tão fácil de quebrar que, de fato, já percebi que eu vou enlouquecer algum dia. Estou usando um notebook usado, já que o meu mesmo foi pro concerto e até agora a pessoa que disse que ia concertar prometeu há cerca de um ano que ia fazer algum coisa. O notebook chegou a voltar pra cá com o mesmo defeito, sem ninguém ter feito nada e eu, trouxa de acreditar nas pessoas, devolvi o notebook para o concerto - estava acompanhado da fonte quando entreguei e quando retornou não estava com o notebook. É desesperador quando eu pergunto pra minha mãe pedir o notebook de volta para que ele pelo menos esteja comigo e ela simplesmente nega... Eu sei que nunca verei aquele notebook de novo, não funcionando novamente...

Você tem muita sorte se consegue confiar numa única pessoa que seja, com todo coração. Pessoas traem, pessoas mentem, pessoas são falhas, elas não nascem perfeitas. Mesmo que não seja da intenção delas, elas vão falhar com você e tudo o que lhe resta é pensar consigo mesmo que aquela coisa que era importante pra você, que você botou o seu coração naquilo, simplesmente foi esquecido por aquela pessoa que deveria ser impontante pra você. As pessoas não percebem que estão pisando em você, elas só conseguem dizer um 'desculpa' sem emoção nenhuma e ainda conseguem permanecer pisando em você como se não fosse nada. Eu tenho medo das pessoas. Eu não escrevo para aparecer, para me mostrar. Na verdade, toda vez que vejo um comentário novo, meu coração dói, imaginando a merda que a criatura alienígena aqui fez para despertar o desinteresse de alguém no árduo trabalho que tive para por meus pensamentos nestas linhas, que finalmente alguém descobriu que eu fugi a regra que todo mundo segue na vida e que querem me forçar a segui-la como se já não bastasse eu não me sentir mais humano, tenho que me encaixar nesse perfil perfeito que todo mundo faz de si mesmo e das pessoas ao redor. Eu não quero ser excluído por ser diferente, queria que as pessoas entendessem que o mundo carece de amor, que eu careço e muito de confiar nas pessoas e que gostaria muito de conseguir quebrar essa sina maldita que me parte o coração toda vez,,, Eu não tenho futuro.

Por mais que eu seja diferente, gostaria de ter tido a oportunidade de seguir em frente com o que eu tentei anteriormente na minha vida. Mas as pessoas não entendem que deu errado, que me faltaram coisas e sentimentos que não estavam lá. Muitos artistas reclamam que as pessoas que admiram seus trabalhos e só dizem: você tem talento. Não importa a quantidade de horas que você gastou pra conseguir chegar naquele nível; a quantidade de vezes que você lutou contra si mesmo pra conseguir dizer: está bom pra mim; nem o tempo que você passou sem fazer o que gosta porque estava decepcionado consigo mesmo. Queria poder ajudar essas pessoas, fazer alguma surpresa especial para alegra-las, fazê-las sentir que a arte delas vale a pena. Eu não tenho essa sorte... É díficil dizer o que de fato faria da parte ruim de ser um artista também fazer parte do lado bom, a maioria dos artistas caminha sozinho, nas sombras, em lugares que ninguém te enxerga. No entanto, não fomos nós que simplesmente trilhamos esse caminho por que queríamos. Muitos de nós ficariam felizes em produzir algo de qualidade, algo memorável, algo que fosse popular. Se pelo menos fosse fácil assim...

Uns poucos conseguem um mínimo de notoriedade pra sobreviver de sua própria arte. Menos pessoas ainda conseguem 'chegar lá', sentindo-se plenos financeiramente pra fazerem o que quiserem mantendo o trabalho duro. E a imensa maioria encontrasse esquecida num canto ou outro, uns, como eu, estão ainda se mantendo no caminho, mesmo que a realidade se mostre muito pouco favorável, e outros, que admiram a arte, que sentiriam prazer em fazer arte, são renegados a esquecerem que um dia poderia fazer algo com a própria criatividade, vivem da repetição, e esquecem que tiveram sonhos bonitos um dia. A vida acaba se resumindo a trabalho, comer, dormir. Muitos adoram a família, mesmo que escondam que na verdade, desprezam-na, ignoram-a e se veriam muito mais felizes sem as responsabilidades que não pediram pra ter. Amar alguém se tornou masoquismo, você sente prazer em sentir dor, em sofrer, em ser humilhado e rebaixado a nada. Basicamente amar se tornou amar quem não te ama, quem não olha pra você, que espera que você faça coisas sem retribuição nenhuma. Amar se tornou algo inútil, pois só nos piores momentos é que ensina alguma coisa, no mais permanece calada, quieto, dolorido... em suma, algo ruim para sua saúde. Você se sente amada/o? Será que você realmente está retribuindo ou só está jogando tudo nas costas dessa pessoa que não merece como você a/o trata?

Pois é, prepare-se! Se você não amar, se você não colocar as pessoas antes de si mesmo nem um pouquinho, você não merece ser amado, E então chegamos no maior de todos os impasses: se ninguém ama ninguém, de onde virá o amor que precisamos na nossa vida? Boa sorte tentando sentir algo, ninguém te avisou antes, mas agora eu vou dizer: nem todos os sentimentos estarão lá e, pior do que isso, eles  podem nunca estar. Empatia, compaixão, a capacidade de entender o quão ruim seria estar numa situação em que você nunca gostaria de estar, podem não estar lá pra te prevenir de cometer erros. Na verdade, as pessoas acham lindo nunca abaixar a cabeça pra ninguém, sem perceber que o que elas estão fazendo é justamente manter a cabeça baixa pra tudo, sem enxergar o que está acontecendo ao seu redor, sem ter nenhum cuidado pra não pisar onde não devia. As pessoas roubam, matam, esquecem... e o sentimento que deveria estar lá para prevenir isso, não está lá, ou foi jogado fora por causa das decepções, das amarguras da vida, das traições de pessoas queridas que se envolvem com o que não deviam, com as ilusões que temos sem perceber que somos nós mesmos que críamos. Quem disse que era pra você acreditar na fidelidade humana? Você se tornar responsável pelo que cativas, e isso inclui a ti mesmo.

Na esperança, incerta e teimosa, comprei uma tele-sena de são joão para tentar uma última vez ganhar um pequeno prêmio que fosse. Evidentemente que também estou de olho no prêmio de cinco anos de 'salário' de cinco mil reais. Isso mudaria a minha vida... você. caro leitor, não tem ideia de como. Retomando o assunto, nos últimos anos, desde que não tive mais forças pra continuar o curso de Design de Interiores, me sinto abandonado na vida por ter menos do que é preciso pra conseguir dar continuidade a minha existência. Isso foi em 2009. Acabei repetindo a mesma situação em 2010, quando tentei um curso de administração e me senti tão frustrado que desisti do curso. A vida sempre cobra de você sentimentos que você não sabe lidar com eles. Por vezes não acontece nada demais. mas pra mim isso é algo ruim que me consome até hoje. Consegui terminar dois cursos básicos (meio que uma fachada do governo pra fingir que está dando educação quando as pessoas que saem do curso não aprenderam o que realmente precisavam pra seguir em frente). O primeiro foi de informática, ainda em 2010, e o segundo de marcenaria, um pouco melhor do que o outro, no começo de 2011. No fim do segundo curso fui chamado algumas vezes para ir trabalhar em algumas marcenarias e, no último caso que fui chamado, tive um dia de experiência. Era pra ser uma semana... No fim do primeiro dia me senti tão mal que não sabia mais o que fazer. Então simplesmente nunca mais voltei. Eu não estava preparado e acho que ainda não estou,

Em 2012 foi uma certa alegria, renovei minhas expectativas quando meu irmão comprou um computador e minha irmã pediu uma linha de telefone com internet. Consegui até escrever algumas histórias fantásticas no meu outro blog. Tudo começou a ruir quando percebi que teria que me mudar para outra cidade. Eu não gosto de mudança, odeio isso. Mesmo com meses de antecedência, eu já me sentia mal e isso afetou meus últimos escritos nesse blog. Aquilo que tinha virado uma boa rotina de escrita a noite e publicação durante o dia, se tornou escasso e, enquanto eu ia percebendo que as minhas coisas não estariam mais aqui, discuti com meu pai e ele bateu no meu computador, um computador velho e usado que chegara aqui em casa em 2009, ainda usando windows 98 e que mudei para windows xp. Vendo o computador sem funcionar direito, eu fui calmamente até o quarto dos meus pais e disse: você conseguiu... Me virei e não consegui mais aguentar o choro. E não pensa que era por causa de rede sociais. Aquele computador era tão velho que nem dava pra colocar internet nele! Antes eu tinha tanta esperança de fazer algo decente pra colocar na internet, mas agora tudo não passa de uma ilusão.

Passado o susto, meu pai me prometeu um notebook e, no mesmo mês em que eu mudaria de cidade, ele foi comprado. Olhando agora, posso dizer que ter algo pra me distrair num lugar novo me ajudou a seguir em frente. Comecei um blog novo especialmente para publicar o conteúdo produzido nessa cidade do interior do Ceará. Teria sido bom, não fosse o dinheiro ter acabado e continuar naquela cidade ter se tornado insustentável. Lá eu passei pela maior vergonha da minha vida, algo que você não pode imaginar nem entender, não é algo que acontece normalmente, era algo que só acontece quando você acredita muito numa coisa e essa coisa se volta contra você de tal forma que só de ouvir o nome dela você passa mal e não quer mais falar sobre o assunto. Eu já disse que não era normal. Era algo que se eu disser o que era, não vai fazer sentido pra você, você vai diminuir a minha dor como se a lâmina que me apunhalou nunca tivesse feito estrago algum. Por causa daquilo e eu aprendi que sempre que eu estou feliz, vem algo e me decepciona profundamente, Em novembro de 2014, recebi a notícia de que ia voltar para São Paulo. Me senti tão horrível como quando me disseram que eu ia me mudar. Com muito pesar tive que abandonar uma gata e quatro filhotes que não tinham nem um ano de vida naquela casa sem nem ao menos me despedir,,, Eu me sinto como um monstro que não consegue nem ao menos tomar contar de gatinhos...

Me mudei em Janeiro de 2015 e em Abril eu tentei juntar forças pra escrever uma história nova, com a anterior interrompida pelo anúncio de que eu voltaria para São Paulo. Antes do fim do mês, eu teria um acidente com o notebook e ele pararia de funcionar corretamente. Foi para o concerto e voltou em Junho. Foram meses angustiantes pra mim sem saber o que fazer, sem conseguir ter paz pra escrever e tentar terminar aquela história. Chegou Julho, um novo mês para escrever. Meio temeroso de que algo ruim acontecesse, só comecei a escrever lá pelo dia 6: Alérgico, a minha obra atual. Consegui escrever bem mais do que eu pretendia e escrevi dois volumes até o final de novembro, Em Dezembro, comecei o terceiro volume... ainda estou tentando retomá-lo. O terceiro volume estava sendo mais difícil de escrever e eu estava levando meses para escrever alguns trechos. Eu o teria terminado antes que se completasse um ano do começo da escrita... Se não fosse pelo notebook travar de vez em Maio de 2016 e acontecer o que lhes contei no começo. Passei semanas e meses tentando encontrar algo pra fazer pra me distrair do fato que eu não conseguia escrever a história, de que toda vez que meus irmãos estivessem em casa, eu não poderia usar o computador deles, etc. Em Dezembro do mesmo ano, recebi este notebook usado. Meio receoso de que algo poderia acontecer, tentei outra história e, antes que eu pudesse fechar o primeiro arco, o notebook começou a dar problema e foi pro concerto.

Agora, Maio de 2017, o notebook volta. Eu não sei ficar grato pelo que aconteceu. Não pude nem ter um dia inteiro com ele em casa, que surgiram vários problemas. Acho que a placa está quebrada, não para de dar sinais de que algo está errado. Tive que comprar um teclado e um mouse pra poder ficar mais sossegado, pois estava um inferno tentar usar o mouse pad ou o teclado do próprio notebook. E o pior não foi isso! Com o tempo que o notebook ficou parado, ele ficou sem atualizar o  windows, e ao retornar, nada mais normal do que atualizar tudo, certo? Errado! Os pacotes de atualização deram conflito e, adivinha, recebei a seguinte mensagem na tela: ERRO FATAL. Depois de tantos problemas sem saber o que será de mim no futuro, passei o resto da noite em claro tentando solucionar o problema mesmo com o teclado e o mouse pad todo zoado. No domingo, já com o dinheirinho que eu não deveria gastar, pois precisamos de um fogão novo, saí pra comprar os ditos componentes, Fui a pé até o hipermercado Walmart que fica a cerca de 12 km de distância. As pessoas consideram impensável fazer um trajeto desses a pé, sabe? Até o momento o notebook me pareceu estável, apesar de que não devo usar o teclado, da tela - que é de desktop, não a tela do notebook, ela foi retirada pois a outra não estava funcionando direito - que fica piscando a cada cinco ou dez minutos por não sei que motivo, e do erro fatal ter conseguido desabilitar o meu anti-vírus em definitivo, eu acho.

Além disso, nesses últimos dois meses, o botão de ligar do meu celular, que me ajudava bastante quando eu não podia acessar a internet, parou de funcionar. Sem ele, o celular já era, apesar de que ainda consegui fazer a configuração dele ativá-lo sozinho ainda umas quatro ou cinco vezes. Sem celular e sem notebook, toda vez que meus irmãos estão em casa, eu precisava fazer alguma coisa ou ia enlouquecer! Resolvi fazer algumas receitas, algumas até que eu nem havia feito antes. Não ficaram lá muito boas, mas valeu a experiência. O caso é que, de tanto usar o forno do fogãozinho velho, a grelha (ou seja lá como chama aquela parte que tem vários buraquinho de onde sai o gás) começou a soltar fumaça. Isso já havia acontecido antes, mas não da forma como estava acontecendo. Tentou-se de tudo, mas aparentemente não devemos mais usar o forno do fogão, que já tem uns vinte anos, e comprar um novo ou comprar um novo negócio que eu não sei o nome pra por no lugar. Até parece que só porque eu queria fazer receitas e mais receitas, o forno ficou ruim. Mas é, eu vivo abaixo do nível básico, precisando de meias, cuecas, um tênis novo, de um computador novo, de um celular e, mesmo que não dê pra colocar, pois a operadora da internet não tem nenhum pacote maior, uma internet nova também! Aqui em casa vivemos com menos de um mega por segundo, chegando até mesmo a ser menos da metade de um mega em horário de pico. Se a internet trava? Tem horas que ela simplesmente desaparece do nada!

Esse estado de vida que está sempre do lado ruim me incomoda. E não pense que isso me dá força alguma, pelo contrário, só me deixa mais infeliz. Eu não quero viver se for pra ficar nessa situação: começa projeto, interrompe projeto, espera um eternidade pra recomeçar, começa de novo e, de repente, mais uma interrupção no meio da coisa! A tele-sena que eu comprei eu só abri pra cadastrar no site, pois não vou pegar os números no sorteio, eles não vão me dar prêmio algum. Não raspei a raspadinha que fica na frente da tele-sena, eu sei que não há prêmios ali. Acho que comprei mais por descargo de consciência, pra provar pra mim mesmo que aquela é última vez que compro uma tele-sena, última vez que faço qualquer jogo na loteria (coisa que já não vinha fazendo há algum tempo) e a última vez que espero que algo mude pra melhor... E se tiver algum prêmio? Você não faz ideia do quanto eu quero estar errado... Eu estou ficando maluco com o quanto eu quero que as coisas mudem sem nem ao menos ter o mínimo pra conseguir terminar meus livros...

Se você conseguiu 'chegar lá', você tem sorte, nem todo mundo, aliás, muito mais pessoas do que você imagina, sequer conseguiram dar o primeiro passo quando queriam, não tinham tempo quando podiam, e quando finalmente podiam e queriam, a vida não tinha mais tempo pra eles. Continuar sonhando é bom, mas deixar isso ser apenas um sonho faz da sua vida algo mais cinza. A vida deveria ser mais colorida, mais igualitária, mais vivível. Mas o que temos não é nem de perto isso. E pensar que há pessoas no mundo que nem sequer tem arroz pra comer, porque não tem dinheiro pra comprar um quilo de arroz sequer... Quem sou eu pra reclamar? Acho que isso é o que mais dói: eu tenho o direito de sofrer, de me sentir decepcionado com a situação? Ou é tudo egoísmo fútil de minha parte? Eu só queria que as coisas melhorassem, mas eu sei que elas não vão... Eu tenho 26 anos, não tenho emprego, não tenho faculdade, não tenho perspectiva de vida e estou tentando aprender a criar arte para não ficar louco. Mas até isso pode me ser tirado uma hora ou outra... E então, eu estou sendo pessimista demais ou é a vida que resolve ser dura demais sem ter a menor sensibilidade de que o sentido da vida de algumas pessoas está sendo arrancado delas? Não há muita escolha, é sofrer ou sofrer... pois a dor é inevitável, a única coisa que muda é como você vive a dor. Se você não consegue lidar com essa dor como eu, as pessoas vão ser ainda mais insensíveis para contigo e ainda menosprezá-lo quando tudo o que você quer é algum apoio pra continuar. Você não quer fazer aquilo, você quer viver, mas você você percebe que fazer aquilo não mudaria muito as coisas ao seu redor, as pessoas vão simplesmente continuar suas vidas como se nada tivesse acontecido.

A vida é algo cheio de turbulências, enquanto alguns lidam bem com isso, eu calhei de lidar com isso com depressão, com tristeza, com dor... Eu tenho pra mim tentar mais um dia, fazer uma caminhada que as pessoas não costumam fazer, tentar um receita que ninguém na sua casa jamais fez. Eu tento, um dia após o outro. Eu tento me segurar pra não matar alguém, tento me segurar pra aturar os outros, tento me segurar pra continuar e tentar mais uma. No meu caso, isso tem sido insustentável, mudança após mudança, fraqueza após fraqueza, decepção após decepção... Eu não tenho o básico que uma vida deveria ter, eu não tenho onde por esses sentimentos além deste local que você está vendo.

No fim de tudo, acho que eu não queria mandar treze fitas para que as pessoas ouvissem os porquês. O que eu queria mesmo era pode mandar de graça uma cópia dos três volumes de Alérgico pra cada um que eu achasse interessante, pois o que acontecesse no final tem a ver com isso de alguma forma...

Ainda não escrevi o final do livro... Eu quero muito poder escrever um final bom, mas sendo realista, finais bons não existem... Eu só posso pedir que alguém mais seja feliz no meu lugar... infelizmente eu não sou... :'o]

 OTL OTZ orz by kyrayamato10

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017


Aiai... Se prepara que lá vem bomba!
Tá feio mas dá pra entender o texto que vou colocar entre as imagens, tá bom?!

Como eu posso dizer algo aqui?
Há tanto ainda pra aprender e eu estou apenas no começo!
Eu ainda nem sei como funciona!

Agora eu tenho uma mesa digitalizadora,
\o/ hurray! \o/
*pense no pica-pau descendo as cataratas do Niágara num barril*
E esta é a minha letra escrita com ela
(tá feio que dói!)

Mas ainda estou apenas treinando,
me acostumando
e estou usando o paint da microsoft,
pois o paint tool sai ficou no outro notebook.

A partir de hoje começo algo novo
que espero um dia ser algo tão comum quanto a escrita...
usar o ctrl+Z
mesmo quando eu estiver longe do computador! :oD

Posso ser ambicioso por querer algo pra mim
quando deveria estar pensando em usar
o dinheiro em coisas mais urgentes...
Mas às vezes tudo o que eu queria
era realizar meus sonhos... :o[

Muitos sonhos infelizmente são difíceis demais de serem realizador,
demandam muito tempo, dinheiro
e qualidades que muitas vezes não temos.
Esta mesa digitalizadora custou R$300,00.

Eu não tinha R$300,00 e não tenho trabalho.
Tiver que juntar usando dinheiro que não era meu,
sem pedir emprestado,
nem dizer exatamente para o que era... :o[

Minha família nem sabe direito o que eu quero da vida,
não dão suporte,
nem ao menos perguntam como eu me sinto...
Pelo menos eles não exigem
que eu sai trabalhando a torto e a direito. :o]
(Escrive errado ali, mas não vou concertar!) :oP

Devo tudo ao meu irmão mais novo que,
mesmo sem saber,
me ajudou a dar esse pequeno passo para um homem,
mas um grande passo para que eu continue sonhando!

Deveria ter sido em Janeiro,
no dia 17,
meu aniversário de 26 anos.
Meu aniversário não é lá grande coisa...

Mas eu havia prometido a mim mesmo que tentaria
ao menos dar o primeiro passo
para começar a minha futura HQ,
adaptada do livro que estou escrevendo
e que ainda não pude terminar.

Dei o primeiro passo e espero que nos próximos 7 anos
eu possa evoluir satisfatoriamente
na arte de desenhar e ilustrar
que tanto admiro! u.u
Homestuck reference here!

Ai ai, minha mão já está doendo...
Faz tempo que eu não escrevo
e talvez o esforço repetitivo faça doer ainda mais...

Nem tenho um espaço adequado
para escrever ou desenhar...
Estou improvisando aqui
com uma mesa normal,
alta demais pro notebook,
e sentado na minha cama,
ou minhas costas vão doer.
OTL <= que dor!

Queria que as pessoas falassem mais
sobre como elas se adaptaram
às adversidades,
mas elas só conseguem dizer:
"continue sonhando,
um dia você chega lá".
Sá porra é difícil! >:o[

17/01/2014 à 14/02/2024
Vamos ver o quanto eu melhorarei até lá...
Espero que eu consiga realmente melhorar,
já que estou começando
praticamente do zero!

Talvez fosse melhor ter um curso de desenho
ou ser um desenhista desde pequeno
como muitos fazem.
Até queria encontrar
um curso especializado
em desenho digital
pra ver se eu me desenrolo...
Mas não encontrei, :oP

Deve ter vários por aí,
mas a bem da verdade é que a profissão não é valorizada.
Eu mal consegui encontrar um lugar pra comprar essa mesa!
Tem site pra tudo que é lado,
mas em loja mesmo
só Santa Ifigênia!

Heh, nem sei como trocar a ponta da caneta ainda.
Eu devia poder ver isso no CD que veio com a mesa,
mas o leitor do meu notebook usado
não está funcionando.
Apesar de que baixei o programa direto do site,
ainda preciso dos tutoriais pra entender melhor
isso aqui.

Então, o que mais eu posso falar?
Bem, já tenho em mente o estilo que vou seguir
e a qual quero chegar um dia:
O que, por si só, é surreal demais! T^T

devo também fazer desenhos menores
e aprender com eles também,
mas só de poder começar
e ter a oportunidade de chegar lá em algum momento...
*feliz feliz*

Talvez eu nunca chegue a ter
um estilo impressionante,
mas se eu chegar a ter metade do estilo das pessoas
que admiro tanto,
já me dou por satisfeito.
Sempre com passinhos de bebê! =(^ºωº^)=

E assim deixo estes
guardanapos virtuais
como memória de que um dia eu comecei
(e nunca cheguei lá)
e experimentei o prazer
de fazer algo que antes me era impossível.

A todos que lerem
um muito obrigado
de coração!
<3 <3 <3

Meu Deus, quanta dor de cabeça!



Ainda não sei por onde vou, se vou ter mesmo a chance de continuar até o fim ou se serei brutalmente interrompido como nas outras tantas vezes, mas é um passo na direção certa, isso é o que importa...
Se não a neura me devora e não sobra nada! @_@

Da loucura a sanidade louca! XoD
Até a próxima! o/

domingo, 17 de janeiro de 2016



Resolvi sair da rotina no dia do meu aniversário e escrever um pouco, o resultado você confere abaixo ou, se não puder visualizar, acesse a página no Wattpad pelo link: 25 Anos - Minha história


sábado, 31 de outubro de 2015

NaNo2015: ALÉRGICO VL 02

NaNoWriMo - National Novel Wrinting Month - Mês Nacional de Escrever Livros; atualmente pode ser chamado de mês internacional para escrever!
Ano passado foi difícil, tive que me segurar contra uma desviravolta na minha vida no meio do NaNoWriMo de 2014 e mesmo assim conseguir chegar a marca de 50 mil palavras!
Para ver o post sobre o livro de 2014, acesse: Branco - meu livro no NaNoWriMo 2014.
Eu morava em Pereiro, interior do Ceará e divisa com o Rio Grande do Norte, e no meio do mês meu pai decidira que não iríamos mais morar lá e voltaríamos para São Paulo. Eu fiquei arrasado, não consegui escrever por alguns dias, mas com a ajuda de outra escritora que também participa do NaNo, consegui ganhar forças novamente e consegui passar a marca de 50 mil palavras no último dia. Obrigado Lilian! :oD
Este ano, pelo menos, é diferente, eu não estou iniciando um novo livro, mas continuando o que eu começara no CampNaNo de Julho e que estou louco para terminar! É difícil escrever um livro, eu sei! Não tive problemas apenas no NaNo2014, mas também no CampNaNo de Abril deste ano. Ainda não terminei os dois livros e ainda deixei para terminar, ainda sem previsão, um terceiro livro que iniciei no começo de 2014. Eu tenho medo, confesso, tenho medo de que algo aconteça e eu não seja capaz de terminar de contar essa história, tanto quanto tenho medo do que as pessoas vão dizer sobre ele quando lerem... Eu estou me debulhando na história, tentando buscar inspirações, criando cenas e me esgoelando para por sentimentos na história que eu acredito serem verdadeiros. Mas eu não tenho condições de acreditar que realmente seria algo completamente bom, pelo contrário, eu escrevo imperfeições e não espero agradar. Espero apenas contar uma história, ser capaz de terminar uma história, poder me dizer que sou capaz. Só isso...
Muita coisa aconteceu entre o primeiro e o segundo livro (eu preciso atualizar a descrição do volume 1), mas a luta persiste, Michael continua nos contando suas memórias do último ano em sua vida e como é difícil aceitar a realidade ao nosso redor. Através de suas experiências com parasitas alienígenas que querem dominar a Terra e outros que apenas querem conviver conosco, ou mesmo sobre preconceitos arraigados na sociedade, Michael nos conta o que ele presenciou e como fez para encarar tudo e ainda ter fé no futuro, sendo humano ou hospedeiro. Tratando de temas polêmicos, Alérgico é uma obra que estou escrevendo sem pensar tanto em critérios e ainda por cima questionando vários deles. Às vezes acho que só estou escrevendo só para ser ridicularizado, muitos que lerem não vão entender, tenho certeza. Mas não é isso que conta, eu estou contando uma história, misturando várias outras, não posso me limitar porque você vai pensar diferente de mim, eu tenho que tentar!
No começo eu pensei que o gênero seria apenas Sci-fi, no meio eu pensei em Drama, penso agora em Young Adult e também em um outro que pretendo deixar para ser descoberto apenas por quem ler... XoB
A capa provisória/modelo se segue abaixo e, como da primeira vez, vem acompanhada do tabuleiro de xadrez que fiz como fundo.
Obrigado pela atenção!